Munique 1962. O “contubérnio” da concórdia

De 15 de outubro a 10 de dezembro de 2012 no Centro de Arte Juan Ismael (Porto do Rosário, Forteventura)
Munich 1962. El 'contubernio' de la concordia

No passado mês de junho completaram-se 50 anos deste encontro que o regime de Franco nomeou primeiramente de 'o contubérnio da traição' mas que passaria à história como o 'contubérnio da concórdia' porque na cidade alemã de Munique, 118 espanhóis de diversas ideologias, alguns vindos do exílio, reuniram-se no Hotel Regina da capital bávara nos dias 5 e 6 de junho de 1962 para debater o texto que seguidamente apresentariam na sessão plenária do IV Congresso internacional do Movimento Europeu, dando um importantíssimo passo de reconciliação entre 'as diferentes espanhas' surgidas depois da sangrenta guerra civil.

Tal e qual como resumiu Salvador de Madariaga quando falou em nome de todos "os que no passado escolheram a liberdade perdendo a terra e os que escolheram a terra perdendo a liberdade reuniram-se para vislumbrar o caminho que os iria levar juntos à terra e à liberdade". Pela primeira vez, personalidades políticas do máximo relevo, que tinham pertencido a grupos distintos durante a Guerra Civil, falaram a uma só voz diante da opinião pública mundial, unidos pelo seu desejo de construir juntos uma Espanha que fosse em primeiro lugar democrática e de seguida europeia.

Em boa medida, foi o progresso do processo de integração europeu o que permitiu superar qualquer bloqueio, dando aos reunidos uma causa comum. O texto aprovado pela delegação espanhola dia 6 de junho afirmava sem rodeios que para se realizar a integração de Espanha na CEE, era necessário que se desse antes a instauração de instituições autenticamente representativas e democráticas que garantissem que o Governo assentava no consentimento dos governados. Noutras palavras, só uma Espanha democrática poderia juntar-se ao ainda incipiente processo de integração.

Assim com fez a Casa da América no passado mês de junho, a Casa África leva agora a Forteventura (local de exílio para alguns dos participantes neste encontro europeu) a exposição 'Munique 1962. O contubérnio da concórdia', que oferece uma panorâmica muito visual dos acontecimentos ocorridos, graças a mais de 40 fotografias e cópias de jornais e uma valiosa compilação de documentos, muitos deles inéditos até agora, e declarações dos protagonistas daquele encontro histórico.

A mostra, dividida em oito blocos, propõe a recordação da Espanha de 1962 e do encontro que ocorreu no Hotel Regina de Munique e os seus protagonistas, mais de uma centena de representantes de organizações políticas da oposição ao regime franquista. Também não esquece a repercussão que a dita reunião teve dentro e fora das fronteiras espanholas, assim como o legado que o texto resultante deixou para o processo da Transição.

Dados da exposição:

  • Local: Centro de Arte Juan Ismael
    • Almirante Lallermand, 30. 35600, Porto do Rosário, Forteventura
    • Telefones: 928 859 750-51-52
    • E-mail: caji@cabildofuer.es
  • Datas: de 15 de outubro a 10 de dezembro de 2012
  • Horário: das 9 à 13h e das 17 às 21h de terça-feira a sábado
 
 
 
Compartir con:
 
 
Newsletter

E-Newsletter


Recibe nuestro boletín electrónico semanal con las actividades y noticias de Casa África.

 

Quién es Quién en África


 

  • Filter by:
 
of425

There are no results for this search
 

Efemérides


Premios de Casa África


Premios Griot de Ébano, Premios de Ensayo, Premios de cine...