África.es na Casa África

Exposición
De 2 de maio a 2 de agosto de 2013
Africa_ES

Detalle de una de las fotografías hechas por Zanele Muholi en Las Palmas de Gran Canaria

África.es gira em torno da perspetiva de vários fotógrafos africanos em relação a diferentes espaços urbanos espanhóis selecionados para tal objetivo. Através deste projeto, sete artistas africanos foram a Espanha e a cada um deles foi atribuída uma cidade espanhola para que, sem algum tipo de limitação temática, pudessem transmitir através da sua visão particular e reflexão o que a cidade lhes sugeria através de espaços, pessoas, situações, etc. Os sete artistas selecionados, procedentes de sete países diferentes de África, destacaram-se por realizarem uma obra de qualidade e vanguarda que desde a AECID procura ser intensificada.

Depois de um encontro comum em Madrid, os artistas viajaram às suas cidades atribuídas onde realizaram a correspondente reportagem fotográfica durante sete dias. Como resultado do seu trabalho, foi produzida uma exposição coletiva com as obras selecionadas de cada um dos artistas. Tal exposição já se pôde ver em cidades como Madrid, Sevilha ou Valladolid e agora chega à sede da Casa África, ocupando as suas salas a partir do dia 2 de maio de 2013 até 31 de agosto deste mesmo ano.

De seguida serão apresentados os artistas que participaram no projeto, o seu país de origem e as cidades espanholas que retrataram:

  • Mamadou Gomis, de Senegal a Bilbau. Nascido em Ndoulo, no dia 4 de junho de 1976, intercala o seu trabalho de repórter fotográfico com o de artista. Desde 1999 desenvolveu o seu trabalho como repórter em vários meios quotidianos e revistas do Senegal, trabalhando também para várias agências de imprensa internacionais. Colaborou em vários projetos com diferentes ONGs internacionais como a OXFAM, PAM e FAO. Desde 2006 que desenvolve uma intensa atividade como artista que o levou a realizar várias exposições internacionais em Moçambique, Marrocos, Espanha e Estados Unidos, destacando “Africa now” em Washington D.C. em 2008 e “Mareas Migratorias” em Las Palmas, em 2009. Conta com várias publicações e distinções fotográficas e fez parte de várias residências de artistas.
  • Patrick Wokmeni, dos Camarões a Sevilha. Nascido em Douala, a 3 de março de 1985, as suas primeiras ações com a fotografia têm lugar no ano de 2002. No ano de 2006 fez parte, em Paris, da exposição “Jóvenes Africanos en París”, e em Douala da coletiva “Slide Show” no Centro de Arte Contemporânea de Douala. Em 2008 dá-se a sua consolidação no estrangeiro com a presença da sua obra na exposição coletiva “Jóvenes Africanos” em Málaga e em Valladolid. Da mesma forma, a sua obra está presente na exposição coletiva “12/friche” em Malraux (França). Em 2009 faz trabalhos fotográficos em Accra (Gana) que fazem parte da Bienal de Bamako desse ano e, em 2010 participa na 9ª edição da Dak’art, no Senegal.
  • Nii Obodai, do Gana a Valladolid. Nascido em Accra, a 4 de novembro de 1963 e educado entre Inglaterra, Nigéria e Gana, vive e trabalha atualmente no Gana. O seu trabalho explora a vida urbana e rural desde o ponto de vista do artista. As suas fotografias levam-nos até à África contemporânea ao mesmo tempo que situa o espetador num espaço entre a tradição, a improvisação e a modernidade, um espaço no qual a maior parte dos africanos se veem obrigados a viver. A sua obra conduz-nos em direção a uma nova África onde diferentes religiões coexistem, as tradições acompanham a vida contemporânea e as caras da diáspora voltam às suas origens. A sua obra, tremendamente expressiva e visual está sempre em contínua evolução. Viajou por todo o oeste de África, explorando e recordando a essência da vida africana. A sua obra pôde ser vista em Accra, Paris e Bamako.
  • Arturo Bibang, da Guiné Equatorial a Valência. Nascido em Bata, este fotógrafo freelancer, colabora com diferentes publicações e agências, entre elas a Zero-Magazine, El Mundo, Down Town, Morena Films e Boa Records. A sua formação dentro do mundo da fotografia é feita entre Madrid e Londres. Desde 2004 até hoje, participou num grande número de exposições individuais e coletivas em Espanha, Líbano, Guiné e Itália.
  • Emeka Okereke, da Nigéria a Madrid. Nascido em Lagos, a 26 de julho de 1980, a sua atividade como artista gira em torno da fotografia e do vídeo. Entre 2006 e 2008 estudou na Escola Nacional de Belas Artes de Paris onde se licenciou. Expôs o seu trabalho, de forma individual, na Nigéria e em França, destacando as exposições realizadas no Centro Cultural Francês de Lagos em 2003 e 2005 e as realizadas na Agência Francesa de Desenvolvimento, em Paris, em 2006 e na Galeria Crous da mesma cidade, em 2008. Participou em vinte exposições coletivas desde o ano 2004, destacando “Made in Africa Fotografía” em Milão e “Bellezas Africanas” em Nantes, França, estas em 2004. Em 2005 participou no VI Festival de Fotografia de Bamako, Mali, e no Festival de Fotografia de Berlim. Em 2006 faz parte da exposição “Outro Mundo”, na Biblioteca Nacional de França, em Paris e da exposição coletiva “Jóvenes Africanos”. Em 2008 participa no “Jonanessburg Art Fair”. Fez parte de várias residências de artistas e participou em vários projetos entre os quais se destaca “Fotografía y espacio público”, desenvolvido em 2008 em Maputo (Moçambique), onde se relacionou com o público e com a arte. Os seus trabalhos obtiveram vários prémios e galardões internacionais.
  • Zanele Muholi, da África do Sul a Las Palmas de Gran Canaria. Nascida em Umlazi, Durban, África do Sul, a 19 de julho de 1972, desenvolve a sua atividade em Joanesburgo e na Cidade do Cabo. O seu trabalho como fotógrafa remonta a 2002. Desde então realizou várias exposições individuais em Joanesburgo, na Cidade do Cabo, Amesterdão, Viena e Lagos. Desenvolve a sua atividade na galeria Michael Stevenson da Cidade do Cabo. Participou em cerca de 40 exposições coletivas desenvolvidas em importantes centros e museus fotográficos da Europa, América e África. Recebeu o prémio de Melhor fotógrafa feminina por parte da Casa África e o Jean-Paul Blachère award, ambos concedidos dentro do âmbito Bienal Africana de Bamako de fotografia 2009. Participou em várias residências de artistas nos Estados Unidos, Holanda e Austrália. As suas fotografias apareceram em várias publicações e participou em várias conferências em África e Europa. 
  • Mohamed Konaté, do Mali a Barcelona. Nascido em Bamako, em 1978, é uma das principais figuras do panorama artístico emergente do Mali. Nasceu em 1978, em Bamako, Mali, onde estudou Escultura e Arte Multimédia. Trabalha com os meios de comunicação da pintura, fotografia e vídeo e é caraterizado por uma linguagem estética muito original. Nos seus vídeos e instalações testa os limites da credibilidade social e a política das fronteiras. Participou na Bienal de Dakar de 2008, onde a sua obra obteve um reconhecimento especial.

Estes fotógrafos tiveram a oportunidade de trabalhar nas cidades atribuídas, com o objetivo de as refletirem desde o seu próprio ponto de vista e sensibilidade artística. Não se trata de reportagens fotográficas descritivas sobre cada cidade. É mais uma abordagem simplesmente como um cenário de trabalho, onde pode fluir a criatividade de cada um dos fotógrafos.

A exposição é acompanhada de um catálogo editado pelo Ministério de Assuntos Externos e de Cooperação. O projeto foi concebido como uma troca de perspetivas e de influências entre uns artistas africanos e um país visto a partir de sete cidades. Daí que a itinerância posterior que será realizada em diferentes países de África acabe por ser muito relevante.

Notícia relacionada e fotos

 
 
 
Compartir con:
 
 
Newsletter

E-Newsletter


Recibe nuestro boletín electrónico semanal con las actividades y noticias de Casa África.

 

Quién es Quién en África


 

  • Filter by:
 
of425

There are no results for this search
 

Efemérides


Premios de Casa África


Premios Griot de Ébano, Premios de Ensayo, Premios de cine...